Abordagem familiar

Abordagem familiar

Este módulo contempla os seguintes perfis:

A experiência de implementação da Busca Ativa Escolar nos municípios tem mostrado que as famílias podem ficar reativas ao serem procuradas pelos(as) profissionais de campo.

Assim, alguns cuidados devem ser tomados para compreender o contexto, não culpabilizar as famílias e conseguir quebrar eventuais resistências que elas possam ter.

Antes de tudo, é preciso refletir sobre o próprio conceito de família. Será que todos têm a mesma vivência ou organização familiar? Confira no vídeo a seguir.




Família é um grupo de pessoas, vinculadas por laços consanguíneos, de aliança ou de afinidade, onde os vínculos circunscrevem obrigações recíprocas e mútuas, organizadas em torno de relações de geração e de gênero.

Serviço Único de Assistência Social (SUAS)


Essa definição amplia o conceito de família para além dos laços de sangue: o que a define são os vínculos de reciprocidade e cuidado que os membros têm entre si.

Ainda hoje, há muita discriminação em relação aos tipos de estruturação de famílias que fogem ao considerado “tradicional”.  Mas quem trabalha com crianças e adolescentes precisa compreender que existem diversas possibilidades de arranjos familiares, e que é preciso respeitar igualmente todos eles.


O contato com as famílias

O primeiro contato com a família, na Busca Ativa Escolar, é feito pelo(a) agente comunitário(a), que levantará alguns dados básicos sobre a criança ou o(a) adolescente, a fim de preencher o formulário de alerta.

Depois disso, o(a) técnico(a) verificador(a) fará uma visita à casa da família, a fim de apurar as reais causas da exclusão escolar e, assim, poder fazer uma análise da situação que subsidie os encaminhamentos necessários.

No momento desse contato, os(as) profissionais devem:


Orientações para a abordagem familiar

Para que isso aconteça, é importante que a equipe da Busca Ativa Escolar esteja atenta a algumas recomendações – e isso vale tanto para o Grupo de Campo que interage diretamente com as famílias, quanto para o Comitê Gestor que orienta como as abordagens devem ser realizadas. Assista ao vídeo para conhecê-las:



Saiba mais

No Manual do(a) Agente Comunitário(a) e no Manual do(a) Técnico(a) Verificador(a) você encontra mais orientações. Clique nas imagens para acessar: